Arquivo mensais:dezembro 2013

Contos, muitos contos, no Natal tucano

Ao fundo, generosa árvore de Natal com luzinhas cálidas, meia dúzia de frases feitas sobre os sentimentos natalinos e a união na época da celebração de Jesus. Uma primeira-dama bela, sorridente e bem vestida acompanha o governante sério, sentado na intimidade do sofá de casa, que, num entrelaçar de mãos com a esposa, dá o recado: há aqui uma família bela, unida e cristã, para desejar Feliz Natal atodos os paulistas. Ao final, o tucaninho acompanha a inscrição PSDB em azul, num fundo branco. Austeridade, amor, família e união. Seria realmente comovente se o objetivo dos publicitários do Palácio dos Bandeirantes não fosse desviar a atenção do público para o saque de centenas de milhões de reais promovido há 20 anos pelos governos tucanos em São Paulo. Secretários de governo, políticos do círculo íntimo de Alckmin, deputados federais e estaduais: todos numa tensa ceia, assando este grande peru. A despeito do natalino e comovente recado de Geraldo, o Alckmin, pai da família tucana, ninguém aqui acredita mais em Papai Noel. A noite talvez não será assim tão feliz.

alckmin

Trancaço no P1

Acabo de receber a notícia de que os vigilantes da USP estão trancando o P1 da universidade em manifestação.

Me lembrei: após o segundo trancaço de nossa greve, aquele que conquistou negociação imediata, fui “abordado” por alguns deles, no momento em que abríamos novamente o portão, ao final do protesto.

Cheguei a ficar preocupado. Seria perseguição política? Nada. Apoiavam nossa manifestação, haviam ouvido uma entrevista minha no rádio e queriam conversar também sobre suas pautas, categoria explorada e humilhada cotidianamente pelos “coronéis” da USP, na militarização da universidade.

E, agora, vejam: eles “aprenderam” a trancar o P1 conosco. Ou, antes, em termos de greve, piquetes etc., somos nós quem aprendemos com a luta histórica dos trabalhadores, e ajudamos a levá-la adiante.

Todo apoio à luta deles. Nossa greve valeu a pena.